Mulheres contra o coiso: uma pequena palavra sobre o ato

O movimento suprapartidário, organizado e executado pelas mulheres, fez o #elenão ecoar pelo mundo todo. E a gente explica o porquê. 

Sororidade é união poderosa e transformadora, é revolução. É saber que não se está sozinha. É romper o estigma de rivalidade. É re-aprender nosso valor, re-conhecer nosso amor próprio.

Sororidade nos traz segurança, proteção, em um mundo envolto pelo medo, pela opressão. É reconhecer as diferenças entre cada uma de nós, respeitar outras escolhas, outras batalhas, mas conhecer um caminho em comum. É dar voz a outras mulheres, é não deixar nenhuma para trás. É carinho, é união, é respeito, é afeto.

Sororidade é luta.

No dia 29/09 o grito de milhares de mulheres ecoou pelos quatro cantos do país e do mundo. O que vivemos nesse dia foi sororidade na pele, na alma. Um mar de mulheres juntas, umas pelas outras, todas por um objetivo maior.

Foram registradas manifestações contra o coiso em mais de 100 cidades do Brasil. Países como Argentina. Inglaterra (onde Mônica Tereza Benício, viúva de Marielle Franco, esteve presente), Portugal, Suíça, Alemanha, Estados Unidos, entre outros, também tiveram suas manifestações.

Todos estes movimentos se justificam por algumas razões muito simples.

Somos contra a misoginia

Em 2014, o bozo disse, durante uma discussão com a deputada Maria do Rosário que “não a estupraria porque ela não merece”. Essa discussão rendeu ao bozo um processo e uma capa no jornal francês Le Monde, que o chamou de misógino, homofóbico, racista e atrevido. É do bozo também a frase ““Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher”.

Somos contra a LGBTfobia

Ele é declaradamente homofóbico. Uma declaração dada por ele em 2015 lhe rendeu a obrigatoriedade de pagar uma indenização por danos morais de R$150 mil ao Fundo de Defesa Dos Direitos Difusos (FDDD), criado pelo Ministério da Justiça. Durante o programa CQC, o coiso deu a entender que se uma pessoa é gay, ela não teve uma boa educação, e disse que “não participaria de um desfile gay porque não promoveria os maus costumes, pois acredita em Deus e na preservação da família. Outra declaração polêmica foi quando ele afirmou que “ter filho gay é falta de porrada”.

Somos contra o racismo

Uma de suas promessas caso seja eleito é de acabar com todas as reservas indígenas e comunidades quilombolas do Brasil. Ele acredita que as reservas e comunidades atrapalham a economia do país. “Onde tem uma terra indígena, tem uma riqueza embaixo dela. Temos que mudar isso daí”, destacou. “Eu fui num quilombo. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem pra procriador ele serve mais”, soltou.

Queremos políticos atuantes

Ao longo de 27 anos como deputado federal, o coiso aprovou um total de – pasmem – dois projetos. O deputado defende pautas ligadas ao segmento militar e segurança pública. As duas áreas representam 56,7% (97) das propostas legislativas do coiso – são 53 projetos para militares (32%) e 44 para segurança pública (25%). Nenhum foi aprovado.

Há provas de sua corrupção

Em 2014 para a sua campanha para deputado federal, o coiso recebeu R$ 200 mil do grupo JBS – aquele mesmo envolvido até o pescoço em escândalos de corrupção e um dos principais investigados pela Lava Jato.
“Começaram as eleições de 2014. Me liga o presidente do meu partido [Ciro Nogueira, na época] e diz que vai botar R$ 300 mil na minha conta. Disse que tudo bem, mas que colocasse R$ 200 mil na minha conta e R$ 100 mil na do meu filho. Quando vi o nome da Friboi, perguntei se queriam extornar. Falei que ia para a Câmara dos Deputados, ia jogar R$ 200 mil e dizer que é dinheiro do povo, porque foi dinheiro que pegaram do PT para se coligar com o meu partido”, disse.

Seu plano de governo é um fiasco

O plano de governo de bozo que foi apresentado ao TSE é extremamente raso e superficial. Seu plano para educação se baseia em críticas ao “comunismo”. Para a segurança, propõe a impunidade de policiais, para que possam matar sem ser punidos. Além disso, ele defende o porte de armas e o armamento civil. Na saúde, novamente mais críticas do que propostas, e nada é discutido a respeito de áreas de fato importantes, como o saneamento básico. Não há propostas relacionadas à comunidade LGBT. Os planos para economia vão contra a maré das teorias modernas. Não há nenhuma proposta a respeito do desemprego. Enfim, seus eleitores acreditam que ele será a pessoa que irá “consertar o Brasil”, mas não é isso que mostra seu plano de governo

O movimento foi um ato suprapartidário, organizado e executado pelas mulheres. A nossa força é gigante e a nossa união veio pra mostrar que, como diziam as paquitas, nós somos invencíveis.

Não vamos nos calar! Não vamos retroceder! Vamos lutar por tudo que conquistamos e por tudo que ainda precisamos conquistar por uma sociedade mais justa, mais igualitária, não somente agora em tempos tão duros de eleição, mas sempre.

Isso é só o começo da nossa revolução. Vamos juntas construir um futuro sem opressão, sem machismo, sem feminicídio, sem preconceito, sem homofobia. E vamos construir com amor porque somos dessas, tá meu bem?

Não à opressão! Ele não! Ele NUNCA!

Comente pelo Facebook: